Ângela Zanirato é a vencedora do Concurso Arribaçã com o livro “Madalenas Desarrependidas”

A Arribaçã Editora, sediada em Cajazeiras (PB), anunciou nesta sexta-feira (4), através de suas redes sociais, o resultado de seu I Concurso Literário – Categoria Poesia. A grande vencedora foi a poeta Ângela Maria Zanirato Salomão, de Paraguaçu Paulista (São Paulo), com o livro “Madalenas Desarrependidas”. A obra será publicada pela Arribaçã, com a autora ficando com 60% dos exemplares impressos.

Além da vencedora, a Arribaçã resolveu conceder três menções honrosas. Cada jurado escolheu um livro para esta categoria. “Ecos do Céu da Boca” (Maria Clariça Ribeiro Guimarães – Sousa/PB), “Uma cidade de concreto e sonho” (Lourenço Dutra Jr. – Brasília/DF) e “Carapuça” (Eugênia Tereza Castelo Branco Correia – João Pessoa/PB) foram os escolhidos pelos jurados. Os autores dos três livros receberão certificados de Menção Honrosa da Arribaçã.

A Comissão Julgadora foi formada por três nomes: André Ricardo Aguiar, escritor paraibano, natural de Itabaiana, um dos fundadores do Clube do Conto da Paraíba. Publicou “Alvenaria” (Prêmio Novos Autores Paraibanos) e livro infantis, como “O rato que roeu o rei” (Rocco). Publicou, ainda, “A idade das chuvas” (poesia) e “Fábulas portáteis” (contos), ambos pela Patuá. Lançou este ano “Da existência enquanto gato” (Confraria dos Ventos); Chris Herrmann, escritora/poeta carioca, musicista e musicoterapeuta. Residente na Alemanha desde 1996, possui hoje dupla nacionalidade. Publicou os livros de poemas “Voos de Borboleta” (1ª edição, Protexto, 2009 – 2ª edição, Tubap/Clube de Autores, 2015), “Na Rota do Hai y Kai” (Tubap, 2015), “Gota a Gota” (Scenarium, 2016), “Cara de Lua” (Sangre Editorial/Mulheres Emergentes, 2019); e os romances “Borboleta – a menina que lia poesia” (Patuá, 2018) e “Peccatum” (Arribaçã, 2020); e Guilherme Sargentelli, membro da Academia Cajazeirense de Artes e Letras (ACAL), onde ocupa a cadeira 23, cujo patrono é o escritor Ivan Bichara, seu avô. Publicou três livros de poesia e dois de literatura infantil. Autor de “Poemas do Ribeirão”, é também médico e reside no Rio de Janeiro, cidade em que nasceu.

Sobre o livro vencedor, assim fez o seu parecer o escritor André Ricardo Aguiar: “Como disse Ezra Pound sobre literatura, e usando o caso específico do poema, como linguagem carregada de significado até o grau máximo possível, esta obra alia uma temática que expande uma percepção sobre a vida feminina, e em sucessivas camadas, atinge o cerne de uma vivência sobre o mundo, seus efeitos e contrastes. Afora isso, é uma poesia ousada, investida de imaginação e questionamento, dentro de uma proposta em que põe o leitor em alerta. Sua capacidade está em não tratar o poema como um projeto fechado, mas aberto em suas mais inusitadas trilhas. E por último, há o tão (in)esperado estranhamento, no melhor sentido do termo. Recomendo fortemente sua publicação”.

Sobre a autora vencedora: Ângela Maria Zanirato Salomão é professora de História, Pós-Graduada pela UNESP de Assis e pela UEM, Maringá. Participou do Mapa Cultural Paulista versão 2015/2016, onde foi classificada para a fase final na modalidade conto. Participa da Associação de Escritores e Poetas de Paraguaçu Paulista – APEP. Tem poemas publicados em  várias antologias.   Foi publicada nos sites: Blocos Online, Parol, Movimiento Poetas del Mundo, Antologia do Mapa Cultural Paulista edição 2015/2016, versão e-book, Revista de Ouro Revista Ver-O- Poema, Revista InComunidade, Mallarmargens, Revista Digital Literatura e Fechadura, Revista Ruído Manifesto, Revista Ser MulherArte e na Revista Feminista Helenas.

Sobre os livros, Guilherme Sargentelli, da Comissao Julgadora, elogiou as obras concorrentes e arrematou: “Li e reli os textos sob o viés imparcial da composição de ideias e da criatividade que cada autor ofereceu aos seus poemas. Observei-os sob a batuta da forma, sob que apresentação estética poética cada poeta escolheu para vestir seus sentimentos, valendo-se de sonetos, quadras, haicais , estruturas concretas e muitas outras formas ricas e atemporais para nos oferecer esse casamento tão delicado entre forma e conteúdo”.

O concurso teve concorrentes de diversos estados do Brasil, como: Paraíba, São Paulo, Brasília, Ceará, Bahia, Pará, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Paraná, Sergipe, Amazonas, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Alagoas. No próximo ano, a Arribaçã fará concurso na categoria Romance.

Confira as três primeiras colocações:

  1. Angela Maria Zanirato Salomão (Paraguaçu Paulista /SP) – Madalenas Desarrependidas
  2. Aurélio Osório Aquino de Gusmão (João Pessoa) – Dos bordados e das vias da humana gesta
  3. Lourenço Dutra Jr. (Brasília-DF) – Uma cidade de concreto e sonho

Deixe uma resposta